Google
 

terça-feira, 25 de dezembro de 2007

São Tiago de Compostela.

Como todos sabem, e como já cansei de falar, minha vida mudou completamente. Desse jeito, achei melhor fazer algo que pudesse elevar meu espírito de modo que me desse estrutura para agüentar a barra.
Gentem, está difícil para eu suportar essa barra toda. É Ed que nunca mais me mandou lavar uma peça de roupa, é Xórgi que vive sumindo toda hora, é a Gorda Alzira que resolveu entrar na brincadeira, é o doido do Marchello que resolveu salvar os micos... affen gentem, eu sou só uma e é muita coisa para uma pobre Garota.
Diante disso tudo, e como Ed me mandou sair de Roma direto para Madrid, resolvi então percorrer o caminho de São Tiago de Compostela. Isso mesmo amigos, fui a pé de Roma até Madrid.
Gentem, é uma experiência fora do comum. Somente quem já percorreu sabe do que estou falando.
Durante a minha longa caminhada, na qual perdi alguns quilinhos e fiquei ainda mais gostosa, aprendi muita coisa. São Tiago (o maior) era apóstolo de Jesus e irmão de João (acredito que este tenha sido o primeiro caso de nepotismo da história). Filho de Zebedeu e Salomé, ele tinha uma empresa familiar de pesca lá pelas bandas do Lago Generaset. Nessa empresa trabalhavam, também, Pedro e seu irmão André. Karaleo gentem, de uma tacada só Jesus levou 4 funcionários dela.
Mas voltando ao assunto principal, criaram esse caminho porque um certo senhor de nome Pelágio, que não tinha o que fazer, percebeu que uma chuva de estrelas caia sempre no mesmo lugar do bosque. Ele avisou ao bispo Teodomiro sobre o ocorrido e este ordenou que fossem feitas escavações no tal lugar. Depois de cavarem muito, acharam uma arca com os restos mortais de São Tiago, desde então começou a peregrinação pelo caminho. Lá é tão legal, tão cheio de fru-frus, que terminou sendo declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.
Bem, agora que me sinto mais aliviada espiritualmente, já posso voltar a caçar a Gorda Alzira pelo mundo afora.
E não vejo a hora de encontrá-la, somente para mostrar o tanto que emagreci. Tenho certeza que essa Gorda vai querer morrer quando vir meu corpinho enxutex...

sábado, 15 de dezembro de 2007

Esclarecimentos.

Kéridos Leitores, saudações!
Infelizmente estou tendo alguns probleminhas e por isso ando meio ausente.
Gostaria de informar a todos vocês, meus amados Garotetes, que já estou resolvendo o dito cujo e que em breve voltarei a postar com regularidade aqui.
Como todos sabem, imprevistos acontecem e lamentavelmente um deles me pegou.
Meu coração fica partido por não poder estar aqui com mais frequência, mas tenho que pensar em muitas coisas que vem acontecendo comigo e não estou, no momento, em condiçoes de "blogar".
Quero dizer que não esqueço de vocês um minuto sequer e que, se tudo der certo, estarei de volta o mais breve possível.
Xero da Garota, gentem!

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Dei uma paradinha em minhas aventuras para ir ao Brasil pegar um prêmio que minha querida amiga DU me deu.

Trata-se desse selinho aqui:


DU Kérida, muito obrigada por essa prova de carinho!

Aproveito e repasso para minhas amigas quase irmãs Ju, e Malu!

Xero da Garota!

sábado, 1 de dezembro de 2007

Creio, não creio...

Juro para todos vocês que quando voltar ao Brasil, irei procurar um psicólogo. Não, melhor: Um psiquiatra. Pára tudo: Um psicanalista!
Tá certo que eu tenho mania de deixar os homens doidos com esse corpo moreno, cheiroso e gostoso que eu tenho, mas não é para deixa-los todos doidos REALMENTE, que eu vim ao mundo.
Sai correndo feito louca, alucinada e criança do meu encontro com Bento e quando chego ao hotel, o que meus belos olhinhos olham?
Marchello pendurado na janela, com os restos mortais de meus pelinhos dentro de um saquinho plástico e gritando:
- Salvem o mico-leão-da-cara-preta... Salvem o mico-leão-da-cara-preta...
Sempre fui uma Garota fina, linda, loira e japonesa, mas ao ver tal cena eu perdi toda a minha fineza e parti logo pro barracão de zinco em plena Roma.
- Marchello Regazzo Tosco, desça já daí!
- Não posso Garota, temos que salvar os micos.
- Mico quem está pagando é você.
Quando olhei para o lado, vi Ed vindo em minha direção.
Fudeu, fiz merda! pensei comigo...
- Garota! Que diabos está acontecendo aqui? Quem é aquele louco berrando na sua janela com sua calcinha amarrada no pescoço?
- Ed, disfarça! Esse moço está servindo de isca para pegarmos a gorda Alzira...
- Era sobre isso que eu ia lhe falar Garota. A Gorda Alzira foi vista na cidade de Madrid.
- Madrid Ed? Tomara que algum toureiro pegue aquela vaca velha...
-Não estou brincando Garota! Temos que partir para Madrid imediatamente.
- E quanto a esse regazzo Ed?
- Se vira Garota, o mico é seu...
Subi até ao quarto e fui falar com Marchello, não podia deixar aquele homem pendurado na janela e ainda mais com a calcinha que comprei na Marisa e que nem terminei de pagar ainda.
- Regazzo gostoso, tenho algo muito sério para lhe falar...
- Sim Garota.
- Por gentileza me devolva minha peça intíma. Tenho que partir agora e ela é de suma importância na minha pela preservação desses macaquinhos.
- Você não pode partir Garota.
- Posso sim meu bem. Mas irei deixar você ocupado com um servicinho. Seguinte: A partir de agora você vai ficar ali na esquina contando quantos micos passaram por dia no cruzamento. Esses dados são de suma importância para a pesquisa que estamos desenvolvendo, entendeu?
- Sim Garota.
- Então Kérido, vá por favor. Enquanto você fica aqui perdendo tempo, os macaquinhos estão passando.
Consegui me livrar de Marchello mais fácil do que pensei, esse regazzo realmente é um homem bom.
Agora o que me deixou cismada foi o fato de Ed ter acreditado nessa mentira que eu inventei.
Por que será que esse homem não questionou minha desculpa?
Em outras épocas ele teria me dado um tapão na orelha e me mandado lavar a roupa dele. Hoje, ele sequer perguntou algo...
Ed não me deu nem um tapa, sinto que ele não me ama mais...

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Velhos Amigos...

Fiquei tão feliz com a ligação de Bento que até perdi o sono.
Marchello dormia igual a um bebê na cama e nem percebeu que eu já tinha tomado banho e me vestido para ir ao encontro de tão amado amigo.
Deixei um bilhete sobre o criado mudo e fui me encontrar com Bento. Mas, lesadinha como sempre, esqueci de perguntar a ele qual ônibus eu tinha que pegar. Ainda bem que existe celular hoje em dia...
- Bentoooooo.... bom dia fófis! Estou indo aí lhe ver, qual ônibus devo pegar?
- Garotchaaaaaa... vochê them que pegarrr o ônibux n.40 e desxer no pontio fináll.
- Ok Bentinho!Bye, bye...
Andar de ônibus é uma maravilha. Você vê cada pessoa diferente. E ônibus é ônibus em qualquer lugar do mundo. Besteira pensar que os ônibus do Brasil são diferentes, todos eles tem duas portas e um motorista.
Hummmm... ônibus me excita muito, já estou sentindo meu bello regazzo querendo dar o ar da graça. Mas agora tenho que me controlar, afinal de contas estou indo encontrar-me com uma das pessoas mais animadas desse mundo. Eita... está me dando fome agora. Ainda bem que já estou chegando ao meu destino, acabei de passar pela placa anunciando a “Città Del Vaticano”.
Cheguei ao meu destino. Bentinho estava me esperando na porta ansioso, igual a um garoto no dia de São Cosme e São Damião. Ele levantou sua enorme saia e veio correndo até mim com os bracinhos abertos.
- Garotchaaaaa... quântias xaudadex de voxê...
- Bentinhoooo... eu também.
Nos abraçamos, nos beijamos e ficamos lá parados na porta do Vaticano olhando um para o outro. Era um momento único aquele. Foi Bentinho que celebrou minha primeira comunhão. Me lembro como se fosse hoje:
- Padre, eu nunca comungay...
- Faix bem Garotcha, faix bem...
Mas voltando ao presente, Bentinho me convidou para irmos tomar um café. Fomos. Eu simplesmente adoro essa padaria que fica aqui na esquina do Vaticano.
Bento, como sempre, fez questão de fazer o pedido. Pediu duas médias*, uma para mim e outra para ele.
Ficamos sentado no balcão da padaria e Bento começou a relembrar de nossas aventuras. Como da vez que fomos a um baile funk e lá pelas tantas ele se joga no meio do salão e começa a gritar:
- Ahhhh... eu tchô malukô... Ahhhh... eu tchô malukô...
Lembravamos de tudo e riamos como dois adolescentes. Mas nossa alegria durou pouco, meu celular tocou e quebrou o clima.
- Garota, venha rápido para o hotel. Acaba de acontecer algo bem desagradavel aqui.
- Dios...
------------------------------------------------------------------------------------------------
*Média, para quem não sabe, é um copo, geralmente americano, com leite e café e um pão com manteiga. Também chamado de "pingado pequeno".

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Salvem a piriquita!!!

- RisRisRisRis... Como você é engraçado Marchello... Mico Leão da Cara Preta! Essa foi ótima! não está vendo que isso tudo é poluição que está grudada em nosso corpo? E que essa mesma poluição é que causa o efeito estufa que está sufocando nosso planeta?
- Sério Garota? Quer dizer então que essa coisa preta está em nossos corpos?
- Sim meu kérido! Para você ver como nós maltratamos nosso planetinha...
- E o que podemos fazer para evitar isso?
Gentem... eu odeio gentem lesada. Será que Marchello está esperando que eu interrompa todo nosso clima sensual e romântico para dar-lhe uma aula de como salvar o planeta? Affennnn... eu mereço! Eu aqui na maior secura e o tolinho preocupado com a emissão de CO²?
- Kérido, deixa esse papo de efeito estufa para o WWF ou para o Green Peace, sim? Eles resolvem. Agora que tal você dar uma "estufada" na minha caminha?
- Mas Garota, você não está entendendo. Como posso pensar em fazer amor com você sabendo que a Terra está morrendo a cada minuto? Nós dois aqui nessa banheira, esse monte de água sendo desperdiçada, os carros passando na rua emitindo gás carbônico, os homens devastando as florestas, rios sendo poluídos...
- Stop fófis!!! Você veio aqui para se divertir ou para ter uma crise de baitolagem? Quer fazer uma boa ação para o planeta e para a humanidade? Então kérido, vem salvar uma periquita que está a perigo.
Felizmente consegui reverter a situação. Já pensou se o regazzo surta e resolve sair pelado do meu quarto para salvar o mundo?
- Certo Garota, vamos para a cama. Irei lhe mostrar como aumentar o efeito estufa de forma prazerosa...
Não costumo expor minha vida intíma e sexual para qualquer um, mas como você leitor é parte integrante do meu ser, irei colocar a seguir o "diálogo" que eu e Marchello travamos em nosso ninho de amor.
- Óóóóó...
- Aiaiaiaiaia...
- "Dilíxia"...
- Yes, yes, yes...
- Pá pá rá rá, pá pá rá rá tchi bum...
- Piri piri piri...
Ficamos a noite toda nessa onomatopéia sem fim.
Marchello fazia uma folhinha verde nunca antes sentida pela minha pessoa.
Nossos corpos suados inundavam os nossos lençóis. Os "nheco-nheco" da cama não permitiram que ninguém dormisse e meus sussuros, ao atingir o ápice da relação sexual, chegaram até o Vaticano.
Estava quase adormecendo quando meu celular toca.
- Garotcha... estás em Roma?
- Sim, estou! Cheguei ontem. Mas quem está falando?
- Xá me exquexeu Garotcha?
- Bento, Kérido!!! Que bom que você me ligou...

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Roma Vai Tremer...

Saí rapidinho do bar e corrí para o hotel, mas lógico que passei em uma farmácia para comprar um barbeador, afinal de contas, como não tive mais tempo de ir até a Pri fazer minha depilação, então o jeito vai ser fazer a "barba" eu mesma.
Engraçado, sinto que estou esquecendo de fazer alguma coisa, mas o que será?

Já sei, irei ver em meu caderninho o que foi que eu marquei para fazer hoje. Hummm... não tem anotado, que estranho... mas eu tenho certeza que eu fiquei de fazer algo. Bem, mais tarde eu procuro novamente, tenho que me preparar para receber meu belo regazzo, e quem sabe mostrar o meu regazzo a noite toda...

Tirei minha roupinha, me enrolei na toalha e quando ia entrar no banheiro o telefone toca. Que coisa absurda isso, ele não poderia tocar outra hora?

- Oi miiiiiiiiga...

- Priiiii!!!! Que surpresa boa, acabei de pensar em você! Cê tá boa miiiiga?

- Melhorada Garota, melhorada. Amiga, estou te ligando para lhe dar uma ótima notícia. Você lembra da Lígia? Aquela amiga nossa casada com aquele moço bonito, o Alê?

- Sim, claro que lembro. O que tem ela?

- Já é mamãe!

- Sério??? Ai que tudo...

Nesse momento toca o interfone do hotel, fiquei conversando com a Pri e esqueci do banho, e o pior de tudo, esquecí de me raspar... Affennnn...

- Pri querida vou ter que desligar. Agora vou comer um italiano e beijar um salame! Ai, quer dizer, vou beijar um italiano e comer um salame. Xau Pri, Xero da Garota.

Nem tive tempo de colocar uma roupa, fui receber Marcello de toalha mesmo. Mas claro que fiz aquela carinha de moça puta para ele não pensar que eu sou dessas que tem por aí...

- Oi Bello Regazzo! Que surpresa, você por aqui...

Nem tive tempo de completar a frase, Marcello me segurou pelos cabelos e grudou sua beiça na minha beiça em um longo e gostoso beijo molhado. Nossa, como eu estava sentindo falta disso. Beijei com toda vontade que estava parecendo uma vaca com febre aftosa.

- Garota, aproveitando que já estas de toalha, vamos tomar um banho bem gostoso na hidromassagem? Quero seu corpo todo para mim...

- Vamos Regazzo mio.

Affennn... e agora? Como farei? Não tive tempo para me depilar. Céus, essas coisas só acontecem comigo e com o botafogo.

Liguei a banheira e enquanto ela enchia ficamos tirando um sarro bem gostoso. Era mão na mão, mão naquilo, aquilo na mão... que delícia!

Mas o melhor de tudo é que no meio daquele rala e rola, me lembrei do que tinha que fazer.

- Lembrei amore mio o que eu tinha que fazer! Eu tinha que pedir para a Du mandar o código do banner dela para mim. Só um minutinho enquanto mando um e-mail para ela. Ah sim, tira o salame do bolso, tá?

Mandei um e-mail para Du e finalmente fomos para nosso banho de hidromassagem. Eu, esperta como sempre, entrei com o barbeador na banheira sem que Marcello percebesse e fui me depilando. Era um beijo e tchan, uma raspada e fui indo disfarçando.

A temperatura da água foi subindo, as mãos dele percorria meu corpo retocado por photoshop, sem nenhuma estria e sem nenhuma celulite. Em breve eu estaria toda depiladinha e não lembraria mais a Vera Fischer naquelas fotos para a playboy. Acabei com minha depilação e qual não foi minha surpresa ao olhar a cara de espanto de Marcello. Perguntei o que tinha acontecido.

- Garota!!! Você estava carregando um mico-leão da cara preta no meio das pernas????

- Dios...



domingo, 25 de novembro de 2007

Enfim, Roma!



Que cidade maravilhosa! Eu amo essa cidade, toda vez que venho aqui me sinto a própria Loba que criou Rômulo e Remo, ou melhor Romulus e Remus!

Genteem, se eu não parar por aqui passarei o resto do ano falando sobre essa cidade, por isso vamos ao que interessa.

Eu e Ed desembarcamos e fomos direto ao St.George, tínhamos que arrumar nossos equipamentos e partir em busca de Xórgi e da Gorda Alzira.

Essa gorda me estresa! Ela sempre quis ser mais do que eu, só que ela não entende que EU, além de ser linda, loira e japonesa, sou uma Garota Que Tudo!

Cheguei ao hotel e fui relaxar a cútis um pouco, segui direto para o centro de fitness do hotel. Malhei um pouco, puxei uns ferros e depois fui tomar um banho turco.

Exercícios físicos elevam minha libido, fico pior que uma lagartixa. Pode-se dizer que eu fico subindo em parede de azulejo lambuzada de manteiga!

Toda relaxadinha me dirigi ao quarto de Ed. Eu estava muito tarada!

- Ed... o que você acha de me pegar no colo, me deitar no solo e me fazer mulher?

- Agora não posso Garota, estou com uma baita dor de cabeça.

- Ai Ed... mas eu estou que não estou aguentando mais...

- Eu sei Garota, mas temos que pegar Jorge e Al Zira.

- Ed... por quê você não me procura mais?

- Porque você não se perdeu Garota. Agora vamos parar de papo e ir atrás dos dois.

Acho que Ed não me ama mais. Como ele me dispensa assim? Sinto que ele está realmente querendo levar um belo par de chifres.

Saímos do hotel e fomos para o ponto de ônibus. Admiro muito Ed, mesmo sem saber para onde ir, ele sempre vai para algum lugar.

Descemos na Fontana de Trevi e demos uma volta, sempre olhando possíveis suspeitos.

Em uma dessas minhas olhadinhas básicas, cruzei meus olhinhos lindos com os lindos olhos de Marcello, o melhor garçom de toda Fontana.

Arrastei Ed para este bar e resolví jogar meu charme para esse Bello Regazzo. Ainda bem que Ed tem a "bixiga solta" e foi logo pro W.C.

(Favor apertar a tecla SAP de seu computador a partir de agora)

- Sejam bem vindos, posso ajudar?

- Sim Bello Regazzo, que tal começar tirando a roupitcha?

- Como Senhora?

- Senhora não kérido, Garota! Muito prazer...

Marcello percebeu minha situação crítica e deu um sorrisinho "fafadinho" para minha pessoa.
- A Garota aceita um Prosecco?

- Um proseccu, um proseccuzinho, um proseccuzaão... tudo que você quiser me dar.

- Serve meu telefone?

- Aceito, obrigada!

Ed voltou do banheiro, sentou-se e me deu uma boa notícia.

- Garota, hoje teremos o dia livre, nossos companheiros lá na SY me informaram que perderam a pista deles. Dessa forma estamos liberados para fazermos o que quisermos. Você já tem algo na cabeça para fazer?

- Tenho nada na minha cabeça não Ed, acho que irei ficar no hotel... (e vou aproveitar para encher a SUA cabeça de chifre Ed...)

- Sendo assim eu vou indo.

- Ok Ed! Nos vemos depois... garçom...

- Sim Bela Regazza.

- Estou hospedada no St.George, quero que você leve um salame bem grande e grosso para eu me divertir essa noite, cáspite?

Falei isso passando a língua em meus lábios carnudos e sedutores, Marcello sorriu e piscou para mim.

Roma irá tremer...

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Hummm... Que Cheiro de Queimado...

Ainda estávamos surpresos com o conteúdo da mala quando nos chegou a notícia de um incêndio aqui em Londres.
- Garota rápido, temos que investigar isso.
- Mas Ed, e o que faremos com a Gorda Alzira?
- Hummm... você está pensando o mesmo que eu?
- Não estou não Ed. Você esqueceu que além de eu ser loira, eu ainda tomei uma overdose de leite longa vida?
- Garota, está na cara que Alzira e Jorge estão metidos nisso. Vamos, temos que ir para lá urgente.
Pegamos uma viatura e nos dirigimos ao local do incêndio.
A coisa lá tava esquisita. Uma enorme nuvem de fumaça cobria tudo e eu mal conseguia enxergar o que estava acontecendo. Meus lindos olhinhos se irritaram com aquela fumaça.
- Ed... posso lhe fazer uma pergunta?
- Sim, faça.
- Você não disse que Alzira e Jorge foram vistos na Itália?
- Sim, disse.
- Sendo assim, não foram eles os culpados por esse incêndio. Eles não estavam aqui. Por isso eu tenho certeza que isso não foi um ato terrorista.
- Garota, você tem toda razão! Se eles estavam lá, nunca que poderiam estar aqui também. Parabéns minha linda, você está se tornando uma investigadora de primeira linha.
- Ai Ed... assim você me deixa toda convencida...
- Vamos voltar para a SY, ainda temos que arrumar nossas malas rumo à Itália.
Entrei no carro toda, toda. Consegui resolver meu primeiro caso e Ed estava orgulhoso de mim. É tão bom ter nossa capacidade reconhecida. Confesso que tive que pensar muito para resolver esse caso, mas sabiam que estou começando a gostar disso tudo?
Malas feitas, partimos em direção ao aeroporto Leonardo da Vinci, em Roma.
Como sou uma pessoa muuuito curiosa, resolvi pesquisar um pouquinho sobre esse aeroporto e achei um tópico bem interessante falando sobre ele na internet.
Qual não foi minha surpresa ao ler na wikipedia, que o referido aeroporto realmente fica em Roma!
Acho que fizeram esse tópico porque devia ter alguém pensando que o aeroporto de Roma ficava na Bélgica!
Engraçado, foi só pisar em solo italiano que fui tomada por um calor interno muito intenso. Sempre ouvi falar que os italianos são verdadeiros machos calientes.
O melhor de todos os amantes latinos!
Sinto que Ed e Xórgi irão levar um belo corno no meio da testa...

domingo, 11 de novembro de 2007

Que Baratão!

Após o almoço, eu e Bethinha nos recolhemos ao aposento real para descansarmos um pouco, Ed e o Príncipe Felipe ficaram jogando truco na mesa da cozinha.
Ao entrarmos no quarto fiquei surpresa, Bethinha tinha duas redes genuinamente cearenses penduradas, eu achei de um extremo bom gosto, é muito bom saber que os glúteos reais descansam em uma rede “made in Brazil”.
Ficamos nos balançando na rede e jogando conversa fora. Ela me confessou que curtia muito o funk carioca e que por diversas vezes foi ao Rio de Janeiro escondida somente para ir aos bailes. Inclusive ela é até sócia do “Emoções”, lá do morro da Rocinha.
- Garota, você tem que ver como a parada é bombante. Mermão, quando eu vou pro proibidão a galera só me chama de princesa. Ainda mais quando eu coloco uma calça apertadinha só pra me chamarem de popozuda.
- Princesa? Mas você não é Rainha Beth?
- É gíria Garota! Às vezes temos que deixar o preconceito de lado e curtir a vida como ela é! Caraaaaaaca maluca... o bagulho é dooooooooido! Vamos queimar um cigarrinho do diabo agora?
- Já é!
Fumamos um baseado real e nem vimos a hora passar. Só me lembrei de Ed na hora em que ele entrou no quarto, junto com a segurança do castelo.
- Garota, rápido, pegue suas coisas e vamos embora.
- Calllllma aêêêê... Ed! To curtindo uma boa com a Beth aqui...
- Eu sei Garota, mas você vai ter que segurar sua onda agora. A Gorda Alzira foi localizada.
- Relaxa Ed... deixa a Gorda Alzira ser feliz um pouqinho...
- Ela é Jorge foram vistos na Fontana di Travi, agora a pouco.
Jorge! Por mais que eu tente, toda vez que falam esse nome me dá uma coisa assim, sei lá... é como se cada poro de meu frágil corpo se abrisse para receber todo o odor que emana daquele macho.
- Beth kérida, tenho que ir! O dever me chama. Não posso deixar a Gorda Alzira à solta por aí.
- Pó Garotcha... agora que o barato ta bom, tu se vai?
- Tenho que ir alteza.
- Zuzu bem... mas tu vem pras minhas bodas, né?
- Já é alteza!
Me despedi de Beth e segui com Ed. Fomos pegar uns equipamentos na sede da Scotland Yard e prepararmos nossa partida.
- Garota, você irá levar essa maleta, dentro dela tem tudo que você irá precisar. Olhe bem: Algema, botas de couro, chicotinho, máscara, vibrador...
- Ed, o que significa isso?
- Céus Garota, acho que peguei a maleta do Príncipe Felipe por engano...

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Eu & Bethinha, Bethinha & Eu.

Bethinha é uma companhia extremamente agradável, me sinto bem a seu lado. Durante a manhã nós percorremos os longos corredores do Palácio, de braços dados, grudadinhas mesmo. Era como se fossemos amigas de infância, ou melhor, duas gêmeas siamesas.
Beth me levou para conhecer seu quarto, gentem... que quarto enorme!
Nem conseguindo um financiamento pela Caixa, eu conseguiria pagar aquele quarto, com certeza eu iria ficar velhinha e nem teria pago a metade dele.
Sentamos na cama real e iniciamos uma guerrinha de travesseiros.
Nunca pensei que Vossa Alteza fosse tão divertida! Bethinha é muito sapeca!
- Ai Garota, que bom que você apareceu. Estava mesmo precisando encontrar uma pessoa assim que nem você para me livrar desse tédio.
- Ah Bethinha, pára com isso. Você deve ter um milhão de amigas mais interessantes do que eu...
- Sabe que não Garota? Minhas amigas são tão fúteis... mas não vamos falar sobre isso. Vamos aproveitar o pouco tempo que temos de outra forma. Irei mandar fazer o meu prato predileto e você será minha convidada para almoçar.
- Bethinha... eu não quero lhe dar trabalho minha nega...
- Trabalho nenhum fófis! Uma pessoa sangue bom que nem você não dá trabalho.
Nossa, é tão bom a gente ser paparicada, né? E pelo que estou vendo, Bethinha realmente gosta muito de mim. Se dar ao trabalho de mandar fazer seu prato favorito assim em cima da hora. Bem, pelo menos ela deve ter todos os ingredientes na despensa.
Beth começou a me contar sobre sua vida, de seu casamento com o Príncipe Felipe, de seus 4 filhinhos e de seus 7 netinhos. Eu ouvia tudo aquilo maravilhada, era como se alguém estivesse narrando um conto de fadas para mim.
Após falar muito, e olha que ela fala mais do que a afro-descendente do leite, ela ficou séria um momento, olhou em meus olhos e confessou:
- Garota, em toda a minha vida, só houve um fato que me deixou deveras envergonhada. Foi quando Charles falou ao telefone que queria ser o OB da Camilla, lembra disso?
- Sim kérida, claro que me lembro. Isso virou manchete em todos os jornais do mundo. Mas veja bem, Charles, mesmo assim, portou-se como um verdadeiro lord. Imagina miga se ele falasse que queria ser o supositório da feiosa lá?
- Sabe minha amiga quase irmã, posso lhe chamar assim?, eu gostaria muito que você me desse a honra da sua presença na comemoração dos meus 60 anos de casamento com Fefe, no dia 20 agora. Posso contar com você?
- Não sei xuxu, eu tenho que olhar em minha agenda para ver se não há nada marcado.
- Faça uma forcinha para vir, ta?
Nesse momento entrou um dos inúmeros criados de Bethinha para avisar que o almoço já seria servido.
- Vamos miguxa linda, já colocaram a bóia na mesa. É hora de tirar a barriga da miséria.
Gentem, quando eu olhei o tamanho da mesa do almoço, levei um susto. A mesa conseguia ser maior que a da casa do seu Tide. Com certeza Lalinha iria morrer (de novo) de inveja se a visse.
Sentamos, minha barriga não roncava mais, ela já estava urrando. Pensem em uma pessoa sem comer desde a noite anterior.
Os criados começaram a nos servir. Nossa, quantos criados ela tem, essa minha miga deve pagar uma fortuna de FGTS, férias e demais encargos trabalhistas.
Comecei a achar estranha a comida, só tinha três tigelinhas nos carrinhos, o que será que os outros irão comer?
- Garota, fiz esse almoço especialmente para você, espero que goste. Como já lhe disse, mandei fazer meu prato favorito: Arroz com ovo frito e farinha!
- Nossa Majestade quanta honra. Você adivinhou! Eu amo arroz com ovo frito e farinha!


(To be continued...)

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Plantão da Garota!

Genteeemmm... Socorro! Help-me!!!
Acho que irei ficar fora do Brasil por um bom tempo ainda, o aviãozinnho que ia me levar de volta, não voa mais!!!


Acho que vou pegar uma carona em algum navio.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Calma Garota...

Essa vida da gente é muito engraçada, eu vivia reclamando da solidão e do marasmo e agora cá estou eu, longe do Brasil e me dividindo entre a Inglaterra e a África do Sul. Tenho que falar com Ed que não estou agüentando mais essa correria, assim que eu chegar irei falar com ele.
Nunca mais tive um tempinho sequer para cuidar da minha pessoa, a Pri deve estar puta da vida comigo, afinal de contas já tem uma data que não me depilo, cada dia que passo me sinto mais e mais parecida com a Vera Fischer, estou me sentindo a própria Mata Atlântica de tão peluda que estou!
E esse avião que não aterrisa logo, estou morta de saudades do meu Ed querido.
Affeen, finalmente chegamos, já estou vendo meu príncipe lindo de pé a me esperar.
- Garota linda, você não precisava ter se arriscado desse jeito. Por quê não veio embora na hora que mandei?
- Ai príncipe, quando vi a Gorda Alzira não consegui me conter. Eu tinha porque tinha que saber o que ela estava fazendo ali. Ed amor, acredita que aquela doninha está brincando de ser terrorista?
- Eu sei minha linda e por você quase tê-la capturado, uma pessoa está doidinha para lhe conhecer.
- Sério Ed? Mas quem é? Conta vai...
- Ainda não, é surpresa. Venha, entre no carro que ela está lhe esperando.
Que emocionante, nunca ninguém quis me conhecer, foi necessário vir pra Londres para começar a ser reconhecida. Ainda bem que não farei sexo hoje, não quero ser conhecida como a brasileira que carrega um mico leão dourado entre as pernas.
- Edddd... que lugar lindo é esse?
- É aqui que está a pessoa que quer lhe conhecer, ela mora aqui no Palácio de Buckingham. Adivinha quem é???
- Ai Ed, não faz pergunta dificil! My love, eu já sei quem é, é a Duquesa da Cornuália, Camilla Parker-Bowles! A feiosa que roubou o orelhudo da Lady Di.
- Mas você é meio burrinha, hein? A duquesa não mora aqui! Nós estamos indo conhecer a Rainha Elizabeth II!!!


As portas do Palácio se abriram, igualzinho às portas que se abriam naquele programa do Sílvio Santos. Nossa, que enorme! Que luxo! Bem, eu que não queria morar aqui, isso deve dar um trabalhão pra faxinar...
Adentramos e lá estava ela, a Rainha da Inglaterra, a me esperar. Nem esperei por Ed, saí correndo em direção a ela e ao invés de estender-lhe a mão, fui logo a abraçando e dando três beijinhos na face real.
- Beeeeth Kééééérida!!!! Muito prazer fófis! Você não imagina a satisfação que é para mim te conhecer mulherrrrr...
- Garota Linda, tá boa?
- Melhorada, minha nega. Vou levando, devagar e sempre.
Agarrei no braço de sua alteza real e sai conversando com ela pelos corredores do Palácio. Será que ainda falta muito tempo pro almoço? Eu tô varada de fome...




(To be continued...)

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

A Arma Secreta!

Eu sempre falei que não ia muito com a cara da gorda Alzira, cada dia que passa me convenço mais que tenho que levar a sério esse negócio de intuição. E agora cá estou eu, presa na fila do banheiro com essa gorda medida a terrorista apontando uma pistola para meus lindos e longos cabelos. Se essa obesa estragar meu penteado...
Tenho que pensar em algo rápido, não posso me deixar prender por uma pessoa flácida, afinal de contas eu sou linda, loira e japonesa e não posso ter um final de uma qualquer. Putz, por quê não prestei atenção no que Ed me falou? Por que fui dar mole para Xórgii de novo? Tenho que agir. Não posso fazer nada que possa ferir os usuários do bar, tenho que dar um jeito de sair com essa hipopótama daqui.
- Gorda Alzira, me diga uma coisa: como você descobriu que eu estava aqui com esse homem maravilhoso? Foi dona Suzana quem lhe contou não foi?
- Garota, você é burrinha demais. Será que você não percebeu ainda que eu e Jorge fazemos parte da mesma célula terrorista que pretende dominar o mundo?
- Gorda Alzira, gorda Alzira...Você não acha que está assistindo demais ao Pink e Cérebro? E além do mais qual a sua intenção em ir comigo ao banheiro? Que terrorista fuleira é você que faz tudo que seu refém pede? Se eu lhe pedisse um ovo cozido daqueles coloridos você iria comigo até a Lapa buscar? Está vendo gorda Alzira como a senhora não serve para esse serviço? E quer saber mais? Eu peço demissão, ouviu? Agora eu vou lhe falar tudo que está engasgado aqui! Eu nunca fui com sua cara, para mim você tem cara de porca, você fede que nem uma porca e é rosada que nem uma...
- Cale-se Garota, agora chega! Venha cá pra fora que irei dar-lhe uma lição. Anda, para fora.
Meu plano estava dando certo. Consegui fazer com que a gorda me tirasse do meio da multidão. Agora poderia usar minha arma secreta.
A gorda me levou até o estacionamento do bar, estávamos somente nós duas.
- Vai gorda, atire em mim, vamos! Mas atire logo antes que suas mãos comecem a suar e essa pistola escorregue...
- Eu não irei matá-la agora Garota, primeiro farei você sofrer muito. Está vendo essa linda bolsa Victor Hugo que estou a carregar? Pois bem, nela está toda a coleção dos seus discos da Diana!
- Meus discos da Diana? Nãããão! Não faça nada com eles!
- E tenho aqui também seus posters do Ângelo Máximo. Que tal seu eu rasgasse um por um na sua frente?
- Sua gordinha danada, me dá minhas coisas agora, anda!
- Elas serão suas de novo Kérida Garota se você vier para nosso lado.
- Eu não posso ficar a seu lado gorda Alzira, se ficarmos em um corredor estreito você irá me amassar toda.
- Não banque a engraçadinha Garota, você entendeu o que eu quero.
- Nunca irei ficar com você. Eu tenho um homem lindo que me ama e que irá me salvar. Fique aí com sua célula terrorista e com Xórgi. Não quero ver mais vocês.
- Ok Garota, você fez sua escolha! Pronta para me ver acabando com essa peruca linda sua?
Quanta maldade pode haver em um ser humano, ainda mais em uma gorda que é maior. O motivo da inveja dela para com minha pessoa era por causa do meu cabelo. Jisuisss... eu tinha poucos minutos para agir, essa era a hora para eu usar minha arma secreta.
- Gorda Alzira, sabe quando você irá me pegar? Nunca! Eu sou linda, loira, japonesa e flexível! Chegou a hora de você conhecer minha arma secreta.
Falei isso e soltei a Daiane dos Santos que havia dentro de mim. Peguei a bolsa com minhas preciosidades da mão dela, dei um “duplo twist carpado” e fugi daquele monte de gordura saturada.
- Venha me pegar gorda Alzira, venha! Agora você já sabe quem eu sou! Eu sou a Daiane dos Santos, linda, loira e japonesa! Kkkkkkk... adeus gorda Alzira, você só me verá novamente quando estiver na prisão!!!

domingo, 28 de outubro de 2007

Como Uma Virgem!

Pronto, lá estava eu cara a cara com uma das pessoas mais detestáveis do mundo. Com tanto banheiro no mundo aquela pessoa com excesso de tecido adiposo tinha que aparecer logo no banheiro que eu ia usar. Como eu faria para ligar para Ed e informar tudo que estava acontecendo? Aquela gorda com certeza não iria largar do meu pé e quando eu falasse que estava com Xórgi aí sim que ela iria grudar que nem chiclete velho. Sem contar que essas gordinhas sempre tem que ser simpáticas para com as pessoas que estamos interessadas. Odeio esse estilo “Miss Simpatia” que elas adotam.
Mas a questão agora é: Como faço para dar o truque em Alzira e ligar para Ed? Pense Garota, pense....
- Garota linda, você ainda não me falou o que veio fazer aqui em Johanesburgo.
- Ai Alzira, eu nem te conto. Acredita que o piloto de meu avião pegou o caminho errado? Pois é... então... eu estava indo para Londres e ele veio parar aqui. Sabe o que é você pousar em um país estranho e nem poder tirar a água do joelho em paz por que as pessoas não saem do banheiro?
Agora ela iria se tocar e me esperaria do lado de fora.
- Sei sim miiiiga, mas felizmente eu estou aqui. Pode fazer seu xixinho tranqüila que eu fico aqui segurando a porta e não deixo ninguém lhe importunar.
Eu não mereço isso! Essa balofa não entende uma indireta. Vou ter que usar meu plano B mesmo.
- Alzira mais que linda, me faça um favor - falei retirando a foto de Xórgi da minha carteira – Está vendo esse belo homem, da voz macia e da pegada forte? Então, ele está lá fora me esperando, você poderia me fazer o obséquio de ficar na mesa com ele? Eu não confio em deixa-lo solto com esse monte de africana necessitada.
- Nossa miiiiga, aonde a senhora arrumou esse bofão? Pode deixar que eu irei tomar conta dele direitinho.
- Alzira, Alzira... às vezes me pergunto o que seria de mim se não fosse você para me ajudar...
- Bem Garota, eu irei ficar na mesa com ele. Por um acaso você teria aí cem rands para em emprestar? Estou morrendo de sede.
Affeeeeennn... que gorda aproveitadora! Mas fazer o quê, né?
- Aqui está meu amorzinho, vai lá e toma conta desse macho para mim.
Finalmente me livrei dela, tenho que ser rápida.
- Ed, temos um problema. Xórgiii está comigo em um bar e para completar a gorda Alzira está aqui também. O que fazemos?
- Você está no boteco com Jorge? Mas você hein? Não posso dar mole que você logo arruma outro macho.
- Ed, seja profissional. Minha relação com Xórgi está sendo hiper profissional. Preciso de sua ajuda para pegarmos ele.
- Garota, enrole ele aí até que eu consiga deslocar nossos agentes para aí.
- Certo Ed, mas não demore. Não sei por quanto tempo ainda irei agüentar a gorda Alzira.
- O quê??? A Gorda Alzira está com vocês dois? Garota, sinto que você está correndo um grande perigo. Tire uma foto dela para que possamos analisar...
- Ok Ed, eu irei tirar uma foto dela. Só não sei se ela irá caber toda no meu telemóvel com câmara comprando nas Casas Bahia em 24 meses sem entrada.
- Se vira Agente Neusa, japoneusa. Você não é quadrada.
Gosto muito de Ed, mas devo confessar que Xórgi mexe, e muito comigo. Quando estou ao lado dele me sinto como uma virgem.
Ao voltar à mesa, me deparou com Alzira sentada ao lado do meu macho, toda sorridente , toda simpática e amiga. E o pior de tudo, falando alto! Esses gordinhos devia perder essa mania de falar alto.
- Alzira, gostou de Xórgi?
- Ai miiiga seu Jorge é um que tudo mesmo!
- Vamos então eternizar esse momento? Alzira, sente mais ao lado de Xórgi que irei tirar uma foto!
- Tirar foto Garota? Você sabe muito bem que eu não posso tirar fotos. Minha religião não permite.
- Ta certo então Xórgiii... eu irei tirar somente de Alzira. Isto é, se ela couber na minha maquininha.
- Garota, não seja irônica! Claro que eu caibo nessa maquina sua.
- Ótimo, vamos lá então.
Arrumei a maquina para tirar a fotinha, ops... fotona, da gorda Alzira.
- Olha o passaralho Alzira! Sorria, diga X! Alziraaaaaa... para de olhar para a bilola de Xórgi, por favor?
Pronto, foto tirada, agora tenho que passar para Ed! Prontoooo... mensagem enviada.
Ficamos na mesa os três, eu calada, Xórgi enchendo a raba de cachaça e Alzira sendo simpática com todo mundo. Nisso meu telemóvel toca, era Ed.
- Minha Garota linda como uma virgem. Você tem que sair daí o mais rápido possível. Você está correndo risco de vida!
- Como Ed?
- Some desse bar e procure um local seguro para você. A coisa aí está ficando preta! (ops... olha o politicamente correto...)
- Ed, como assim? Não entendendo meo...
- Fuja daí agora. Invente uma desculpa e suma.
Ed, me deixou nervosa agora. Será que ele está achando que Xórgi não tem dinheiro e que eu terei que ir lavar prato? E que desculpa darei para poder sair assim? Tenho que pensar...
- Gentemmmm... você irão me dar um licença de novo... vou ao banheiro, tenho que dar um banho básico nos morenos?
- Vai pagar um barrão miiiiiga?
- Sim Alzira, vou sim.
Gorda mau educada, o que ela tem a ver com minha life? Afffeeeennnn...
- Então eu irei com você agente Neusa, JapoNeusa. Vai na frente, eu estou atrás de você com uma pistola, me obedeça direitinho.
- Alzira, o que está acontecendo? Eu não estou lhe entendendo.
- Alzira não Garota, Al Zira. Esquecestes que eu sou árabe?
Ai, ai, ai... sinto que terei de parar em meu blog. Se não bastasse eu ter que prender Xórgi, ainda tenho que seguir as ordens dessa gorda? Karaka gentem... quem de vocês aí não está gostando do meu blog? Isso tudo só pode ser olho-grande...

terça-feira, 23 de outubro de 2007

E Agora???

Pronto, agora fudeu tudo de vez! Estou sentada ao lado do terrorista mais procurado do mundo, dentro de um ônibus estranho, em uma cidade estranha, em um país estranho e ainda por cima em um continente estranho.
Não sei o que fazer. Não sei se pergunto o que ele está fazendo ali, se pergunto se minhas coisas já foram limpas ou se ligo para Edward. Bem, como sou uma pessoa sensata, não irei ligar para o Ed tendo ao meu lado outro homem, não pega bem. Vou esperar ele puxar papo e depois penso no que vou fazer.
- Que coincidência Garota, encontrá-la aqui. Você pega sempre esse ônibus?
- Sim Xórgi, toda vez que venho para esta cidade pego esse ônibus. E você? O que faz aqui na city?
- Ahhh Garota, nem te conto. Acredita que tive que trazer seus eletroeletrônicos para limparem aqui? Não achei ninguém competente para fazer isso no Brasil.
Xórgi estava mentindo, era fácil perceber. Mas eu tinha que fingir que ele estava falando a verdade, não poderia colocar meu disfarce em perigo.
- Quando você vem a Johanesburgo aonde você costuma ficar?
- Eu fico sempre no Hotel Mercure Inn Midrand.
- Bom hotel, é um 3 estrelas mas é bom. É ele que fica na Old Pretoria Road, não é mesmo?
- Sim kérido Xórgi. E você está hospedado aonde?
- Bem, cheguei hoje e ainda não sei aonde vou ficar. Você tem alguma sugestão?
Queria saber o que acontece comigo, mesmo sabendo que Xórgi é um terrorista perigoso, não consigo sentir medo ao lado dele, pelo contrário, me sinto tão bem com ele. É, como diria aquela propaganda, como se eu tivesse usando uma calcinha que acabei de tirar da gaveta. Mas eu não poderia me prender a sentimentalismos baratos, eu estou em um missão e tenho que cumpri-la. Mas tenho que ser cautelosa, mantê-lo perto de mim o tempo todo até eu conseguir chamar reforços. Nunca pensei que fosse tão emocionante ser uma agente secreta.
- Xórgi que tal tomarmos um drink? Creio que temos muito que conversar...
- Não vai dar Garota, acredita que eu esqueci minha carteira em casa?
- Não seja por isso Xórgi, eu pago a conta. Tudo hoje será por minha conta.
Claro que estava blefando quando falei isso, quem vai pagar tudo será a Coroa Britânica.
- Bem Garota, eu não gosto muito disso não, mas como você insistiu muito, eu aceito?
Que cara de pau! Eu o convidei apenas uma vez e ele disse que eu insisti? Esses terroristas americanos são de morte...
- Vamos fófis, hoje a noite é nossa!
Chegamos ao bar. Xórgi foi de bebidinhas e eu fiquei somente na água mineral. Não poderia encher a cara ali, eu estava em missão.
- Xórgiiii, estão boas as bebidinhas?
- Sim Garota querida. Por quê você não bebe comigo?
- Ai Xórgi, eu fico com vergonha de beber em público aqui na África do Sul.
- Toma um suco então, nesse bar existem mais de 40 tipos.
- Suco sim, eu aceito. Xórgi, você me aguarda um pouquinho enquanto vou ao banheiro?
- Vai ao banheiro fazer o quê?
Que pergunta indiscreta! O que se faz no banheiro ora bolas? Tenho que manter a postura, ser educada e simpática como sempre, ele não pode desconfiar de nada.
- Xórgiiii! Vou ao banheiro retocar a maquiagem e tirar a água do joelho.
Fui. Essa era a hora que eu estava esperando, eu tinha que avisar o Ed.
Entrei no banheiro, olhei em todos os cantos. Peguei o rádio e liguei para Ed. Só que neste momento a porta se abre e eu só ouço um...
- Garooooooota linda! Você por aqui kérida?
- Gorda Alzira, ops... grande Alzira! Que saudades de você miiiiiiga...
Affeeennn... se eu encontro esse tal de Murphy, eu juro que mato!!!

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

The Ghost.

Pronto, que faço agora?
Acabei de chegar, encontrei o meu contato e não temos nada para fazer. Aquela mensagem que Daniel passou é muito estranha. Eu tenho que encontrar o Presidente do Brasil e olhar pros lados, desse jeito eu encontraria o dossiê, mas não faz sentido isso, Lula vai passar e eu vou ficar olhando para um lado e para outro? Acho que esqueci algum detalhe importante nisso tudo, mas o quê? E quem poderá me ajudar agora? O defunto já está a sete palmos debaixo do chão... como eu queria ter participado de Ghost, lá eles não tinham esse problema. Espera aí, é isso! Já sei o que devo fazer...
- Aloooooô, é do Disk-Macumba? Dona Suzana por favor... aguardo sim.
- Fala Garota!
- Dona Suzana, preciso de um favor...
- Pois não.
- Sabe o que é? Eu conheci um rapaz dentro do Eurotúnel e ele foi assassinado, só que antes de desencarnar ele falou umas coisas meio sem sentido para mim e agora estou curiosa para saber o que foi. A Senhora tem como fazer um DDD aí para ele?
- Claro Garota, me dê apenas dois minutinhos. Qual era o nome dele?
- Daniel.
- Chicabum, chicabum, chicabum... preciso falar cum defuntum... defuntum.... defuntum... Daniel na área.
- Oi Dani, tudo bem? Como vai a família? Lembra-se de mim? Sou eu, a Garota.
- Fala Garota, fala que eu te escuto.
- Dani, preciso de um favor seu, um favor tipo de mãe para filho caçula, como diria Nelson Rodrigues...
- Fala Garota...
- Então, sabe o que é? Eu não consigo me lembrar o que você disse no trem no dia do seu falecimento.
- Em Johanesburgo, após a passagem do seu presidente, olhe para os lados e procure a porta da saída, lá você encontrará tudo que irá precisar, para o terrível terrorista pegar... mas lembre-se, ao entrar na porta cuidado com os leões, pois eles podem te pegar.
- Leões? Daniel não estou entendendo...
- Você me deve 100 dólares pela consulta, Garota.
- Mas Dona Suzana como eu faço para lhe pagar?
- Eu aceito cartão Garota, me dê o número dele e o código de segurança.
Pronto, agora que eu me perdi completamente. Bem, uma coisa é certa, tenho que comprar um jornal e ver aonde o Presidente irá passar hoje. Às vezes cansa isso tudo, o que tem a ver porta de saída, presidente passando e leão? Não sei, tem algo aqui que não está me cheirando bem, e esse algo não sou eu, afinal de contas sou uma Garota limpinha.
22:45 min. Que estranho, aqui no jornal dizia que a comitiva iria passar exatamente às 10 horas da manhã e até agora nada, será que houve algum imprevisto? Bem, pelo sim pelo não eu vou esperar só mais meia hora...
23:15 min. Tenho que voltar para a base, com toda certeza do mundo o Presidente não vem mais.
Tive que andar dois quarteirões até encontrar um ponto de transporte público coletivo. Por isso que não gosto muito da África do Sul, tudo é muito longe...
Entrei no bus e sentei-me pensativa. Aonde foi que nós, da Scotland Yard, erramos? Fizemos todas as continhas e nada... ser uma agente é muito complicado mesmo.
- Com licença, posso me sentar a seu lado?
- Sim, esteja a vontade...
Estava tão entretida em meu raciocínio que nem reparei nesse cavalheiro se aproximando. Que voz linda ele tem, que jeito educado de falar. É muito difícil encontrar um africano que fale o português perfeito e com sotaque de carioca. Epaaaaaaaaa!!!! Peraí... tem alguma coisa errada nisso! Olhei para o lado e não acreditei:
- Xórgiiiiii....

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Rumo a África do Sul...

Odeio essa comidinha dos ingleses, eu estava mesmo era com vontade de comer uma bela rabada, mas achar isso aqui em Londres é praticamente impossível. Tive que comer rápido pois Edward estava me esperando, ainda tínhamos muitas coisas para combinar a respeito da minha missão na África do Sul.
- Eddddd... chegueeeeeiiii! (Tenho que parar de ficar gastando caracteres a toa...)
- Garota, olhe isso! Olhe bem para a cara do nosso procurado.
- Oh My... O que você está fazendo com um retrato de Xórgiiii nas mãos?
- Garota, este é o temível terrorista procurado por nós Jorge Bucho.
- Ed, esse aí é o responsável por eu ter que lavar sua roupa, o Xórgiiii. Lembra quando eu falei que estava casada?
- É com ele Garota? Então na verdade você é cúmplice dele?
- Claro que não Ed. Xórgiiiii simplesmente entrou em campo quando você me abandonou. Eu o conheci no culto. Entrei para orar quando você não me ligou, daí o conheci. Inclusive ele levou meus eletroeletrônicos para fazer uma limpeza e nunca mais me devolveu.
- Garota tolinha, lamento lhe informar que ele deu Elza nas suas coisas...
- Creda Ed, será que foi isso mesmo?
- Não tenha dúvidas. Preparada para a viagem?
- Sim Ed... o que você não me pede sorrindo que eu não faço chorando...
- Ótimo, pegue essa mochila, nela tem tudo que você irá precisar. E se pintar qualquer problema corra para a embaixada inglesa, a partir de agora sua vida é de propriedade da Coroa Britânica. Nada de mal pode lhe acontecer. É necessário também que você arrume um codinome, não fica bem você sair por aí dando seu nome verdadeiro. Você tem que pensar em um antes de chegar a Johanesburgo. Compreendido?
- Sim Ed. Pode deixar comigo, já sei o que devo fazer.
- Certo. Agora corra, o próximo ônibus para o aeroporto passa aqui em frente em cinco minutos, você não tem tempo a perder.
Ônibus... estou bege agora! Sem querer comecei a me lembrar de como conheci Edward, foi dentro de um ônibus. Nunca pensei que esse veículo de transporte de massas fosse ter papel tão importante em minha vida. Graças a ele eu conheci Ed e por causa dele estou indo para África do Sul. Se eu contasse isso para qualquer pessoa ninguém acreditaria. Eu quietinha no Brasil e do nada tendo que levar um par de ingressos para o Ballet para um moço em Londres, paro em Paris e agora vou para África... que estória mais doida.
Bem, agora não é hora de pensar nisso, tenho que pensar em um codinome para minha pessoa. Será que ficaria legal se eu colocasse 008?
Finalmente cheguei ao Aeroporto de Heathrow.
Huuuuummmm... esse lado oeste de Londres continua horroroso, creda!
- Garota, por aqui, por favor me acompanhe.
- Desculpe simpático cavalheiro Anglo-Saxão, mas por que eu deveria lhe acompanhar?
- Fale mais alto por favor, não estou conseguindo lhe ouvir direito no meio dessa barulheira toda.
Comecei a berrar para ver se esse surdo me entendia.
- POR QUÊ EU DEVO LHE ACOMPANHAR???
- Porque agora você é uma protegida da Rainha. Sir Edward não lhe avisou sobre isso?
- AH TA, ENTENDI! VOCÊ ESTA ME GUIANDO PARA NINGUÉM AQUI PERCEBER QUE EU SOU A MAIS NOVA ESPIÃ INGLESA E QUE ESTOU INDO PARA A ÁFRICA DO SUL EM BUSCA DE UM TEMÍVEL TERRORISTA AMERICANO, É ISSO?
Odeio ser o centro das atenções, mas no momento em que falei isso, pareceu que todo mundo em Londres combinou de ficar calado somente para parecer que sou aquele tipo de brasileiro que adora falar alto...
- A Garota poderia falar mais baixo? Agora todos sabem quem você é. Acho que você acabou de estragar a missão...
- Sério? Ah, mas não estraguei mesmo! Pode deixar que eu vou corrigir isso: - OK SIMPÁTICA GALERA ANGLO-SAXONICA, VOCÊS NÃO OUVIRAM NADA DO QUE EU FALEI, CERTO? NA VERDADE EU SOU APENAS UMA ANDARILHA TERRORISTA.
Terminei de falar isso e todos continuaram com seus afazeres. Só não entendi porque esses ingleses saíram correndo...
- Olhe Garota, tem um agente nosso lhe esperando em Johanesburgo, ele lhe dará toda a orientação necessária, certo?
- Certo, deixa que agora é tudo comigo.
- Qual será seu codinome?
- Surpresa Fófis, só irei revelar quando chegar lá. Vou embarcar agora, Xero da Garota lindo.
A única coisa que me deixa feliz nessa viagem é esse avião da South African Airways. Esse avião é um Que Tudo!
Aterrissamos na África, agora tenho que procurar nosso contato. Mas como eu vou acha-lo se nem ao menos eu sei quem ele é?
- Garota, estou aqui.
- Quem você?
- Bond, James Bond! Já criou seu codinome?
- Sim.
- Então, quem é você?
- Neusa... JapoNeusa!


( To Be Continued...)

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Chique Demais, eu sou...

Não acreditei naquilo tudo, Sir Edward na verdade era um agente da Scotland Yard disfarçado e à procura de um temível terrorista norte-americano.
Como o destino é sábio, eu tive a felicidade de encontrá-lo naquele coletivo e assim começar esse lindo amor. Nesse momento não queria mais saber de Jorge, agora eu compreendo tudo, eu não havia comprado o bode com defeito, Dona Suzana não havia errado em suas previsões e a gorda Alzira, quem diria, não havia posto olho gordo em meu amor. Agora estava mais do que na cara que Edward sim, era o amor da minha vida!
- Pois bem Garota, agora que você sabe toda a verdade sobre, me responda uma coisa, onde estão os ingressos do ballet?
- Edward my love, estão aqui em minha bolsinha. Você acha que ainda dá tempo para assistir a apresentação?
- Não tolinha! Na verdade isto não é um ingresso. Isso é um papel camuflado que contém o retrato desse terrorista.
- Nossa Edward, eu nunca poderia imaginar tal coisa. Agora só uma pergunta: Quem matou Daniel e por quê?
- É isso que teremos que descobrir. Daniel era um de nossos melhores agentes e estava fazendo a travessia somente para encontrar comigo. Ele iria me falar aonde estava guardado o dossiê a respeito desse terrorista.
- Daniel então não era um paraibano qualquer? Ele era um de vocês?
- Sim. Era um dos nossos disfarçado de paraíba, agora será difícil descobrir aonde ele guardou esse material. Ele falou algo com você antes de desencarnar?
- Falou sim. Ele disse que era pra gente olhar pros lados e ir até onde um presidente sul-americano estava. E que chegando lá tudo estaria à nossa vista.
- Por que você não falou isso no interrogário?
- Ora, eu não falei porque eu pensei que ele fosse apenas um desses petistas fanáticos que seguem nosso Presidente para onde ele for. Eu pensei que Daniel estivesse indo para África do Sul, apenas...
- É isso Garota! Muito bem! Você conseguiu matar a charada!
- Matei é? Como?
- Isso não importa agora. Garota, tenho um serviço muito especial para você executar.
- Mas Edward, eu ainda nem terminei de lavar sua roupa, lembra?
- Não se preocupe com isso Garota, quando a gente voltar, você as lava duas vezes. Pois bem, arrume sua malinha que você irá para a África, mais precisamente para Johanesburgo. Você terá que encontrar com seu Presidente.
- Edward, você está querendo me dizer que...
- Isso mesmo Girl, a partir desse momento você também faz parte da Scotland Yard!
- Mas Edward, eu nem trouxe minha carteira de trabalho, e se a fiscalização me pegar?
- Não se preocupe com isso. Vamos olhar de verdade agora o que tinha naqueles bilhetes.... huuuuuummmm, interessante mesmo! Olhe Garota a cara do individuo que temos que pegar.
- Céus!!!! E agora Edward?
- Agora você se vira. Tome, pegue esse Vale-Transporte e vá almoçar
Realmente eu não estava etendendo mais nada. Como ele quer que eu lave a roupa dele e ainda por cima ir à África do Sul?...

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

O Reencontro...

E agora cá estava eu, com meu vestidinho sujo de sangue, maquiagem borrada, cabelinho desalinhado e ainda por cima tendo que dar explicações para o pessoal da Scotland Yard.
A essa altura, Sir Edward com toda certeza já tinha perdido a apresentação do ballet, nunca pensei que fosse tão difícil entregar um ingresso. Agora eu sei o tanto que os moto-boys sofrem...
Já tinha mais de três que eu estava sendo interrogada, eram sempre as mesmas perguntas, mas esses ingleses devem ser todos retardados, pois eu sempre respondia tudo no meu melhor inglês, depois falam que os portugueses é que tem raciocínio lento.
(como me falaram que nem todos os pc´s possuem a tecla SAP, já irei colocar aqui os textos traduzidos.)
- Então Garota, estamos percebendo que você não quer colaborar conosco. O que a senhorita estava fazendo naquele trem e ao lado do senhor Deniel?
- Ai seu moço eu já falei, eu estava indo para Londres afim de entregar os ingressos do Royal Opera House para meu amigo que estava na fila.
- Ora pois, pois. A senhora está a pensaire que somos todos portugueses? A senhora não está colaborando, teremos que chamar nosso melhor agente para lhe interrogar.
- Mas pra quê tudo isso? No Brasil é muito normal a gente se deslocar para outro país na hora que queremos. E além do mais, acho que o senhor está me confudindo, meu blog é parecido com “América” e não com o “Clone”, por este motivo não precisa se preocupar. Eu não sou parecida com a Jade e nem sou árabe.
- Bem, tentamos conversar com a senhora com todo nosso fleugma britânico, mas não adiantou. Vamos ver se a senhora irá colaborar agora. Chamem o SE agora.
Céus, estou começando a ficar com medo agora, esse agente deve ser daqueles que bate antes e pergunta depois. Espero que ele não me maltrate muito e que se ele for me bater, que não me bata no rosto, tenho que trabalhar daqui a dois dias e aí já viu...
Apagaram as luzes, saíram todos da sala. A única coisa que eu ouvia era uma pisada forte, devia ser o tal SE. Comecei a ficar com medo, se eu conseguisse sair dessa com vida e interinha, eu juro que nunca mais falo mal da gorda Alzira.
A porta abriu-se, só ví a sombra do tal do SE se aproximando. Poxa, nem me deixaram passar um batonzinho.
- O que a senhorita estava fazendo ao lado de Deniel, a vítima?
Gentem, que voz era aquela! Esse homem , ao pronunciar essas palavra, conseguiu me deixar alucinada, estou quase pulando no gangote dele...
- Responda senhora, não tenho a tarde toda para ficar aqui.
Essa voz me era familiar, eu a conhecia de algum lugar, mas não conseguia me lembrar de quem era. Tenho que ouvi-la mais...
- Senhor investigador da Scotland Yard, irei repetir somente mais uma vez...
- Cala a boca cachorrana! Responda logo à minha pergunta: O que a senhora estava fazendo naquele trem?
- Affeeeem... moço, eu já disse!
- Senhora Dona Vadia, só irei perguntar mais uma vez: O que a senhora estava fazendo naquele trem?
Senhora Dona Vadia? Eita, eu já ouvi essa frase no primeiro capítulo dos meus contos. Por causa disso eu me levantei e resolví acender a luz da salinha do interrogatório.
- Sir Edward???? O que você está fazendo aqui?
- Garota???? O que você está fazendo aqui?

(To be continued...)

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Aviso Aos Leitores.

Geeeenteeemmmm...
Como eu não sou de ferro e como eu não estou afim de passar o feriado enfiada em um trem no fundo do Canal da Mancha, saí nadando rapidinho e peguei um avião rumo a Salvador para aproveitar o feriadão que está chegando.
Se eu encontrar uma rede e um notebook na capital baiana, eu escreverei algo...
Xero da Garota e bom feriado a todos!

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Bang, bang...

- Garota, Garota... acorda, vamos...
Acordei com Aninha batendo em meu rosto.
- O que aconteceu?
- Não sei, você olhou para o garçom, deu um grito e desmaiou.
- Xórgiii... cadê ele?
- Que Jorge o quê Garota... você quase mata o garçom de susto.
- Era ele sim Ana, eu vi, ele estava aqui.
- Não era não, olha aqui, esse é o Pierre. Foi para ele que você olhou.
Eu não estava doida, tinha certeza que era Jorge quem estava ali, mas como eu já havia tomado todas e mais algumas, achei por bem não prolongar esse papo.
- Vamos Ana, me leve de volta para o hotel, não estou me sentindo bem.
Cheguei ao hotel e fui para a banheira de hidromassagem, realmente esses dias não foram fáceis para mim. Mas ainda havia uma coisa que me intrigava. Aquele homem no Moulin Rouge era o Jorge sim! Eu tinha certeza absoluta que era. Mas o que ele estaria fazendo ali? Não acredito que ele trabalharia lá. Seria muita loucura, morar no Brasil e trabalhar em Paris, haja vale-transporte...
Resolvi não esperar o avião da noite rumo a Londres, o melhor que eu tinha que fazer era ir logo para lá. Decidi ir pelo Eurotúnel mesmo, apesar de achar um saco ter que ir para Calais para poder atravessar o Canal da Mancha, mas me animava o fato de parar em Folkestone, já no lado inglês.
Folkestone é uma cidadezinha agradável, terra de William Harvey, o descobridor da circulação do sangue.
Ainda bem que essa travessia só dura 35 minutos, fico agoniada quando esse trem saí da superfície, sempre tenho a impressão que algo pode acontecer lá dentro e eu ficar presa embaixo daquele montão de água...
Comprei um exemplar da Faces, tomei assento e procurei relaxar um pouco, tinha que parar de pensar em Jorge, afinal de contas eu estava indo me encontra com Edward. Nossa, será que está frio lá na fila do Ballet?
Uma das coisas que eu mais odeio é quando estou dentro do transporte lendo uma revista ou jornal e senta alguém ao meu lado e fica lendo comigo, e como sempre tudo aconteceu com essa Garota que vos fala, dessa vez não foi diferente. Mas esse rapaz não iria ler minha revista não!
- Il excuse M....
(Desculpa Senhor)
- Ta excusada, leio mais não, visse?
- Ó, o senhor é brasileiro?
- Sim, sou de Souza na Paraíba.
- Ai que tuuuuudo!!!! Eu adoro a Paraíba. O senhor mora em Londres ou em Paris?
- Eu moro em Paris mesmo.
- E o que faz aqui senhor?
- Estou a serviço. Qual a sua graça?
- Ó esqueci de me apresentar, muito prazer, Garota!
- Prazer Garota, meu nome é Daniel.
Fiquei conversando com Daniel, ele me falava de coisas bonitas da Paraíba e eu falava da Gorda Alzira para ele. Dani também achou que foi aquela gorda que colocou mau-olhado em mim.
Senti algo estranho no trem, parecia que ele estava diminuindo a velocidade, quando eu ia falar com Daniel sobre aquilo, o trem parou, as luzes se apagaram e eu comecei a gritar, o pânico tomou conta de mim, eu surtei. Só contive meu surto depois que ouvi o tiro. Céus! Deram um tiro dentro do trem!
As luzes se acenderam e do meu lado estava o corpo de Daniel, inerte e sem vida. Ele fora assasinado!
Meu vestidinho estava todo manchado de sangue, as pessoas gritavam feito loucos e minha única preocupação era saber se o tiro furou o trem. Isso não podia acontecer, se tivesse furado iria começar a entrar água nele.
Merda! Pensei.
- Fudeu tudo agora galera, se tiverem furado o teto do trem, além de borrar minha maquiagem vai estragar meu cabelo!

(Continua...)

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Paris, Paris, Paris...


Paris, a cidade luz!
Não pensei que fosse voltar tão rápido a essa cidade, afinal de contas fazem apenas dois meses que estive aqui.
Bem, já que estou aqui e como só tem vôo para Londres amanhã a noite, o jeito é eu ir para o Hôtel De Suez na 31 Boulevard Saint-Michel. É um hotel maravilhoso, às margens do Sena, diária barata, 782 USD, e muito confortável. Vou aproveitar que estou aqui e ligar para a Ana Paula, minha amiguinha goiana.
- Bonjour mon ami Nenen Rebelde, como vai?
- Garota Linda!!! Que surpresa! Aonde você está?
- Estou no Hôtel De Suez kérida, peguei o avião errado e vim parar em Paris novamente. Pode me fazer companhia até amanhã?
- Claro que posso kérida, já estou indo para o hotel.
- Merci.
- Ai Garota, esse seu palavreado do sul da França me mata!!! Fale Débitrice, é mais formal e combina muito mais com você!
Adoro sair com Aninha, companhia agradável e inteligente.
Como não poderia deixar de ser fomos dar uma volta pela cidade e aproveitamos para tirar umas fotos, olhem algumas fotinhas que tiramos aqui: http://www.orkut.com/Album.aspx?uid=7991681987747104873 , amo essa cidade linda!
Ir a Paris e não ir ao Le Pré Verre na 19 rue du Sommerard, na esquina da "rue Thénard", é o mesmo que ir a Brasília e não comer os famosos pastéis da rodoviária, C'est Unique.
Pois bem fomos. Tomamos um ótimo vinho ouvindo Edith Piaf e colocamos as fofocas em dia.
Contei para Aninha tudo que estava acontecendo, ela ouvia atentamente e chegou à mesma conclusão que eu: Tudo isso era culpa do olho gordo da gorda Alzira!
Não era possível que tudo que aconteceu tenha sido acaso do destino, a Dona Suzana, o bode defeituoso, o sumiço de Jorge, a viagem de Edward, o piloto do avião ter pego o caminho errado...
Mas fazer o quê, né? Já que estava aqui eu tinha era que aproveitar.
Marcamos de ir ao Moulin Rouge à noite. Como pode um bordel ser conhecido mundialmente? Somente em Párri mesmo, Kérida!

(Antes de entrar no Moulin Rouge eu sugiro a você leitor que aperte a tecla sap do seu computador para ver as legendas).

- Bonne nuit Mme, soit bien venue
(Boa noite senhora, seja bem vinda)
- Débitrice, aujourd'hui je veux remplir la rabon de bebidinhas.
(Obrigada, hoje eu quero encher a raba de bebidinhas)
Sentamos eu e Aninha, assistimos ao show tomando um belo Dom Pérignon Vintage safra 1996. Eu estava precisando mesmo disso, minha última semana foi muito cansativa, dois homens, um atrás do outro e depois nenhum! Agora eu só queria era beber, beber até cair.
- Serveur, serveur… s'il vous plaît je veux…
(Garçon, garçon... por favor eu quero...)
- Creeeeeedaaaaaa... Xórrrrrrgiiiii???
(Credon Xorrrrgê)
- O que você está fazendo aqui? Céus...Esse blog está ficando pior que “América” a novela da Glória Perez....


(Continua...)

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Lava Roupa Todo Dia...

Sir Edward mentiu para mim, como ele disse que perdeu meu número se eu acabei de encontrar no bolso da calça dele? Bem, não posso ser tão radical assim, vai ver ele esqueceu que tinha posto no bolso, sei lá...
Mas o que me intrigou mais foram os dois ingressos para o Royal Ballet, como um homem rude daquele pode freqüentar ballet? E ainda por cima comprar ingressos para assistir em um lugar tão longe? Sir Edward realmente estava muito estranho, mas eu, linda, loira, japonesa e educada, nunca iria perguntar nada mesmo!
Comecei a lavar a roupa de Sir Edward e me lembrei de Jorge. Por que ele estava demorando tanto a chegar? Ele poderia ao menos me ligar para dar notícias. Céuuuuuussss, Jorge não pode ligar! E se ele ligar e Edward atender? O que ele irá pensar de mim? Tenho que dar um jeito nisso rapidinho, afinal de contas não quero ter que lavar as roupas de Jorge também, do jeito que sou distraída é capaz de eu misturar as roupas deles!
- Edward, que bom que você atendeu! Aonde você está?
- Garota? É você? Aconteceu alguma coisa?
- Ainda não Edward, mas pode acontecer. Aonde você está?
- Aonde eu estou? Ora, estou em Londres, não te falei?
- Não, não falou! Escuta, estou precisando muito do meu telemóvel.
- Sinto mas não posso devolver agora, estou quase entrando na Royal Opera House, o ballet está quase começando!
- Meu querido, você não está me entendendo. Você não pode assistir a esse ballet!
- Why?
- Because eu estou com seus ingressos!
Somente Edward para fazer eu parar de lavar roupa e ir levar para ele os ingressos. Nem tive tempo de arrumar as malas direito, peguei somente o necessário e partí rumo ao aeroporto de Heathrow, em Londres. Eu odeio esse aeroporto, que é um dos mais movimentados do mundo. Como pode um aeroporto ser construído para atender a um máximo de 45 milhões de passageiros ao ano, atender atualmente 70 milhões? Esses países do velho mundo deveriam se modernizar mais!
Não estava conseguindo dormir, então abri minha janelinha e comecei a olhar a paisagem, mas que estranho, o comandante seguiu reto aqui, era para ele ter virado à esquerda... bem, vai ver ele pegou um atalho.
Finalmente adormeci, despertei com os primeiros raios de sol iluminando a bela capital francesa, mais um pouco e estaremos aterrisando no belo aeroporto Charles de Gaulle, o 7º aeroporto mais movimentado do mundo.
Charles de Gaulle? Não pode ser! Eu estava indo para Londres e vim parar em Paris? Como pode isso?
- Motorissssssstaaaaa... pára essa aeronoave que eu quero desceeeeeeerrrr....
Pronto, estou perdida! Edward irá perder o ballet por minha culpa!!!
Affeeennn, estou vendo que agora terei muita roupa para lavar!
(Continua...)

domingo, 7 de outubro de 2007

Adivinha Quem Era...

Eu sabia! Minha intuição não falha. Aquele sexto bode estava realmente com defeito, será que o PROCON resolve isso?
Pois bem, fiz o despacho para ver se Jorge aparecia e quem me liga? Sir Edward!
Tive que me segurar, na hora que ouvi aquela voz, me lembrei dos bons momentos que passamos juntos, aquele clima romântico dentro do coletivo, a conversa inteligente que tivemos quando descemos, o cheiro de homem dele...
Estou me sentindo uma devassa, uma dessas mulheres dama. Jorge some e com menos de um mês já estou colocando outro homem dentro de casa. Tenho que parar de pensar assim, afinal de contas Sir Edward disse que só queria conversar comigo, apenas!
A campanhia toca.
- Boa noite Garota, como vai?
Céus, esse homem consegue mexer comigo. Como ele está lindo!
- Trouxe isso para você.
- Um cesto de roupa? E com roupas dentro? E roupas masculinas? E sujas?
- É garota, sabe o que houve? Essas roupas não podem ser lavadas na máquina, somente à mão. Então pensei em você fazer isso para mim enquanto a gente “brinca” um pouquinho, que tal?
Nessa hora eu perdi a paciência, Sir Edward só me procurou porque queria sexo!
- Sir Edward, agora estou casada. Você demorou tanto para me telefonar que apareceu outro.
- Outro? Mas você é muito ordinária! Mal eu viro as costas e você já coloca outro homem em seu coração?
- Você disse que ia me ligar e não me ligou.
- Eu perdi seu telefone. Passei esse tempo todo tentando de ligar.Liguei para quase todos os celulares dessa cidade. Desde aquele dia estou tentando te ligar. Hoje, por sorte, eu achei seu telefone. Eu passava mais de 18 horas no orelhão ligando para todo mundo para ver se lhe achava e é isso que você faz comigo? Me tira de seu coração e coloca outro? Você é uma ingrata...
Sir Edward tinha razão. Como pude me precipitar desse jeito? Eu simplesmente me atirei nos braços do primeiro que apareceu. Fui leviana, insensível, uma sem coração, um monstro!
- Sir Edward me perdoe! Eu realmente não deveria ter agido dessa forma, eu fui muito egoísta, só pensei em mim. O que eu posso fazer para conseguir seu perdão?
- Hummmm... estou me sentindo tão, mas tão ofendido...
- Sir Edward me permita que eu lave sua roupa como forma de reparar meu erro.
- Sim Garota, eu permito sim. Mas somente porque, apesar de tudo, eu gosto muito de você. Vou deixar a roupa aqui, quando você tiver terminado de passar me liga que eu venho buscar. Aliás, não vai ter como você me ligar, roubaram meu celular naquele dia.
Eu tinha que fazer algo para atenuar minha culpa, eu iria sim lavar a roupa dele.
- Sir Edward, eu farei isso sim.
- Mas Garota, como eu ficarei sabendo que você terminou de lavar e passar? Roubaram meu celular, lembra? Agora nem ligar mais para você eu irei poder...
Meu deu pena ouvindo Sir Edward falando isso. Eu tinha quer reparar mais esse erro.
- Sir Edward, pegue esses vales-transporte e vá procurar seu telemovel . E leve também meu celular, desse jeito quando você quiser falar comigo é só ligar para esse numero.
Sir Edward foi-se, extremamente magoado comigo. Mas eu iria consertar essa situação.
Corri para o tanque e fui lavar a roupa dele.
- O que significa isso no bolso dessa calça? Que absurdo!!! ...

( Continua... )

sábado, 6 de outubro de 2007

Insegurança...

Faz uma semana que Jorge não aparece, estou começando a ficar preocupada. Estou ficando insegura e com medo, será que Jorge está achando que sou porca? Será que meus eletroeletrônicos estavam tão sujos e por isso ele não apareceu ainda?
Ò céus, essas minhas dúvidas me atormentam, quisera eu ser um pouquinho mais segura.
Engraçado como são as coisas, há uma semana atrás eu estava toda triste por causa de Sir Edward, aí conheci Jorge e minha vida mudou completamente. Estaria mentindo se falasse que não penso em Edward, mas o tempo vai apagando todas as minhas lembranças e ele vai ficando cada vez mais longe.
Ao chegar em meu serviço, Alzira, a gorda invejosa, veio me perguntar o que estava acontecendo comigo, pois de uns dias para cá eu estava mais alto-astral e com a pele mais bonita. Lógico que eu desconversei e falei que era apenas “bondade da parte dela”, nunca que eu iria contar para ela sobre Jorge.
Na hora do almoço eu tive o azar de sentar perto daquela pessoa com excesso de tecido adiposo, fingi que não a tinha visto e comecei a degustar minha refeição.
Mas foi impossível ficar muito tempo sem prestar atenção no que ela falava.
Por quê toda gorda mau amada tem que berrar ao invés de falar educadamente?
- Pois é amiga, essa Dona Suzana é tiro e queda, acredita que ela acertou direitinho o dia e a hora que o marido de Renata iria voltar pra casa? Estou até pensando em ir conhecê-la qualquer dia desses.... – falava Alzira antes de cair de boca na coxa do frango.
Que nojo!!! Eu sou da opinião que essas gordinhas invejosas deviam comer só alface. Mas foi até bom Alzira ser desse jeito, dessa forma consegui pegar o endereço dessa espírita vidente.
Se Jorge não desse notícias até as 15:00min, eu iria nessa mulher perguntar umas coisinhas...
15:01 min. Jorge não ligou, vou ligar nessa dona.
- Alô?
- Alô, é do disk macumba? Eu queria marcar uma consulta.. ok, estarei aí... obrigada e até mais.
Dona Suzana iria me ajudar a achar Jorge. E se o coitadinho estivesse sem dinheiro para pegar um táxi de volta?
Começou a leitura das cartas.
- Você tem duas amigas, uma loira e uma morena...
Bingo!!! Dona Suzana já começou acertando.
- Uma dessas amigas só finge pra cima de você, ela não é sua amiga.
Hummmm... pensei com meus botões, a gorda Alzira é loira. Amanhã mesmo irei me afastar dela.
- Você tem um grande amor em sua vida que mexeu muito com você...
Putz... essa dona é porreta!
- Se você quiser eu faço um trabalho e trago ele em 7 dias para você.
Achei melhor não aceitar isso. Atualmente somente Jorge me interessa.
Mas e se ela estivesse falando de Jorge? Afinal de contas haviam 7 dias que ele não aparecia. Resolvi aceitar.
- Pois bem zifia... você vai ter que arrumar 7 bode macho, 7 velas de sete dias, 7 cuecas brancas e 7 rosa vermelha. Vai pegar as cuecas e colocar na boca dos bodes, as rosas você coloca na orelha deles e as velas você vai acender. Cada bode vai ter que ser colocado em uma esquina junto com as velas acessas e você vai fazer também 7 orações. Tudo isso tem que ser feito entre meio-dia e uma hora. Tendeu?
- Sim D.Suzana, entendi tudo direitinho.
- Ótimo. É duzentos reais a consulta. Vai pagar com Visa ou com Mastercard?
Fiz tudo que D. Suzana me pediu. Nem fui almoçar, ao meio dia em ponto estava eu na primeira esquina, não prestei muita atenção no que o povo sem fé falava enquanto eu arriava meu despacho. Deu trabalho, confesso. Mas eu merecia ser feliz e esse era apenas um pequeno sacrifício.
Hora de ir embora para casa, resolvi ir caminhando para poder passar na igreja de Jorge, mas que coisa, estava fechada!
De certo Jorge a fechou mais cedo para ir se encontrar comigo lá em casa. Meu coração encheu-se de alegria diante de tal possibilidade. Tinha certeza que o despacho já estava funcionando.
Cheguei em minha residência, troquei de roupa, preparei uma bebidinha e fui para a pérgola da piscina tomar uma fresca. Nisso o telefone toca:
- Olá Garota, tudo bem? Estou com saudades.
- Você ????...
( Continua...)

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Dia Colorido!

Jorge subiu.
Me senti a pessoa mais feliz desse mundo. Fui preparar um jantar para nós dois, tinha que fazer algo bem especial para ele, afinal de contas foi ele o homem que me deu a mão quando mais precisei.
- Jorgiiiiii... você gosta de alcachofras?
- Sim Garota, gosto de tudo que vem de você.
Céus, que lindo, que romântico, que tuuuuudo! Nunca nenhum homem havia dito isso para mim.
Comemos a alcachofra e nada de Jorge ir embora. O que será que ele estava querendo? Eu já estava ficando sem graça, será que ele queria algo mais e estava com vergonha de pedir? Tentei descobrir.
- Jorgiiiii... você está com vontade de conhecer o meu quarto?
Terminei de falar isso e Jorge me puxou pelos cabelos e me beijou na boca, fui pendurada naquela beiça da sala até a minha enorme cama king size, ele me jogou nela, tirou minha roupa e me beijou.
Beijou como nunca me beijaram antes, rasgou minha roupa e me possuiu (é assim que se escreve?).
Jorge me amou de todas as formas, eu me senti uma potranca sendo coberta por um garanhão. Fizemos amor a noite toda até que adormeci.
Acordei, olhei para o lado e não vi Jorge, olhei para a frente e não vi a televisão, o dvd, o home theater e o vídeo cassete. Olhei para a cômoda e vi um bilhete:
- Você me fez muito feliz, em troca da sua dedicação, estou levando seus aparelhos para fazer uma limpeza. Rsrsrsrsrs... beijos e até qualquer dia.
Não acreditei naquilo que estava escrito!
Jorge realmente me amava! Que outro homem iria se preocupar em fazer limpeza nos eletroeletrônicos que nem dele era?
Ai meu pastor lindo, meu gato siamês loiro, meu bem, meu zen, meu mal...
Tomei meu banho, me vesti e fui toda alegre para pegar o transporte publico coletivo.
Toda simpática, como sempre, dei bom dia para o motorista, para o cobrador e para os passageiros.
Quando fui pegar o dinheiro para pagar o coletivo, não o achei em minha bolsa!
Teria Jorge pego também meu dinheiro?
Achei outro bilhete, era dele.
- Kérida Garota, como peguei seus equipamentos para limpar, peguei também seu dinheiro para pagar as despesas com o táxi. Rsrsrsrrsrsrs... Um dia lhe devolvo.
Que homem gentil geeeenteeem...
Eu agora estou com o dia ganho. O meu gato, em uma prova de consideração, levou meus equipamentos de táxi.
Como ele é gentil.


(continua...)

Dia Cinzento.

Meu dia amanheceu cinzento hoje. Nada de passarinhos cantando, nada de chuva e nada de Sir Edward me ligar.
Me arrumei eu fui esperar o coletivo, ainda tinha esperanças de encontrar aquele homem dentro do ônibus.
Adentrei ao ônibus, simpática como sempre cumprimentei o motorista e o cobrador e os demais passageiros.
- Que coletivo sujo. Pensei ao ver que o ovo cozido que havia caído da minha marmita no capítulo anterior, ainda rolava pelo chão.
Até o coletivo estava estranha hoje. Tinha lugar para sentar e estava vazio. Não conseguia me lembrar se Sir Edward já estava no ônibus ou entrou depois de mim ontem...
Nada. Ele não apareceu!
Desci desolada e mais triste ainda.
Comecei a me lembrar de coisas que eu não poderia ter feito.
Não devia ter contado minha história de amor para a Alzira, todos sempre me falaram que aquela gorda era invejosa e que sempre colocava mau-olhado em tudo que era das outras. Gorda desgraçada!
Passei o dia todo trabalhando e de olho no meu telefone móvel, Sir Edward tinha que me ligar, nem que desse apenas um toquinho nele para eu retornar. A essa altura da minha vida tinha que jogar fora meu preconceito contra aquelas pessoas que tem celular pré-pago e que nunca tem créditos para ligar para os outros.
Eu queria um toquinho, um toquinho apenas...
Nada.
Passei o dia todo nesse sofrimento, me sentindo abandonada, suja e largada.
Saí do meu serviço e resolvi caminhar um pouco, com o celular na mão e uma esperança no coração.
Foi quando de repente passei em frente a um templo, nunca havia reparado naquela igreja e decidi entrar. Quem sabe com um pouco de oração Sir Edward apareceria?
Entrei e comecei a orar, orei com fé, orei com fervor.
O meu celular tocou!!! Aleluia Senhor!!!
- Kérida Garota fófis, aonde você está?
- Affemmm Priscila, eu estou no culto orando!
Era Priscila, a moça que faz a minha depilação intíma, eu havia esquecido que tinha marcado com ela.
- Pri, estou com problemas e resolvi ir pro culto orar, estou aqui no culto orando e já, já te ligo. Xero da Garota!
Havia me esquecido que estava no templo e quando desliguei meu telefone móvel reparei que o Pastor estava a me olhar, era um olhar carinhoso e fraternal.
- Está triste né, amada?
- Sim Pastor. Estou sentindo falta de algo que preencha meu vazio interior.
- Pois você veio ao lugar certo Garota. Aqui você encontrará uma coisa muito boa para lhe preencher e lhe fazer feliz. Prazer, meu nome é Jorge! Vamos tomar um drink após o culto?
- Bebidinhas? Claro. Bebidinhas é comigo mesmo Pastor Jorge!
Geeeennnteeeemmm... que homem era aquele? Esse homem era meu sonho de consumo. Lindo, simpático e educado.
Chegamos ao bar. Que decoração linda. O que me chamou mais atenção foi um enorme piano de cauda branco nos fundos do bar.
Peguei o cardápio. Nossa, quanta fartura! Haviam vários tipos de bebidinhas e ainda por cima, 40 tipos de suco. Eu iria me fartar!
Jorge pediu uma dose de 51 e eu uma Sagatiba (a garrafa inteira, claro).
Conversamos sobre várias coisas e a certo momento tive a impressão de que já o conhecia de outras encarnações.
Saímos do bar e Jorge gentilmente me ofereceu uma carona. Deveria eu aceitar ou não? Aceitei, afinal de contas fudida, fudida e meia.
Entrei na sua BMW e rumamos para minha casa. No caminho Jorge falava das coisas, de uma forma tão bonita que adormeci. Acordei com ele me socando e avisando que havíamos chegado.
Deveria eu chama-lo para subir? Resolvi arriscar.
- Jorge, bebidinhas?
(Continua...)

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Como Tudo Começou.

Era uma segunda feira de manhã bem cedinho. O sol estava quente de rachar e nem sinal de chuva.
Estava eu, linda, loira e japonesa, dentro daquele veículo de transporte de massas (Eu tenho carro geeeennnteeeeemmm, somente não o uso para não aumentar o volume de CO2 na atmosfera), indo para meu serviço, tentando me equilibrar enquanto segurava minha marmitinha para não deixar o ovinho cozido cair e sair rolando pelo chão, quando de repente sinto uma aproximação coxo-femural na minha parte posterior.
Confesso a todos que o balanço do ônibus me excita e ao sentir aquele cheiro de macho (suor com cc) fiquei louca! Mas não podia me render a esses caprichos mundanos, eu estava em um buzão e não em Sodoma, Gomorra, Admá, Zebolim ou Bela. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Sodoma_e_Gomorra) .
Diante disso eu gentilmente falei ao simpático rapaz:
- Kérido usuário do transporte público coletivo, você poderia fazer o obséquio de retirar essa garrafa pet de 3 litros do seu bolso esquerdo? Tenho que lhe dizer que está me incomodando um pouco.
Ao que ele me respondeu de forma rude e viril:
- Kérida Senhora Dona Vadia, cala a boca e continue a rebolar.
Gentemmm... aquilo mexeu com minha pessoa, nunca em toda a minha vida eu havia sido chamada de Dona Vadia!
Eu me senti extremamente envaidecida e lisonjeada. Pela primeira vez encontrei um macho educado, galanteador e sedutor!
Aquele hálito de cachaça me embriagava e eu não era mais dona de mim.
Rezei para que chegasse logo o trecho esburacado da pista para poder curtir mais aquele homem das cavernas.
A esta altura meu ovo cozido já havia caído da marmita e rolava de um lado para outro do buzão, em um ritmo frenético como o nosso.
Vieram os buracos na pista, satisfizemos nosso instintos bestiais e nos afastamos um pouco, cansados e suados.
Estava chegando minha hora de descer e qual não foi minha surpresa ao ver que tal cavalheiro também desceria. Descemos e eu forcei amizade messssmo, não poderia deixar ele partir sem ao menos dizer que tive os 30 minutos mais fantásticos da minha vida.
Puxei conversa:
- Acho que vai chover.
- Segundo o instituro nacional de metereologia, só teremos chuva na primeira quinzena de outubro.
- Muito prazer, eu sou A Garota. Qual a sua graça?
- Sir Edward de Kingstown. E o prazer foi todo meu.
- Este é meu telefone celular móvel, Sir Edward, me liga para a gente marcar de comer uma buchada qualquer dia desses e quem sabe termos uma tarde agradável de amor.
Nos despedimos, fui para meu serviço e não consegui tirar Sir Edward de meus pensamentos.
Aquele homem mexeu comigo de tal maneira, será que ele iria me ligar?
E se ele fosse mais um daqueles que dá apenas um toquinho no celular para a gente retornar?
Eu teria que esperar para ver...
(Continua...)

Agora Apelei!

Como meu blog não tem dado a audiência esperada,
Como meu blog não tem dado retorno aos anunciantes,
Como meus patrocinadores estão querendo vetar meu programa na e-tv, e
Como eu ainda não consegui juntar meu primeiro milhão com esse blog,
Resolvi apelar mesmo.
Resolvi abrir, escancarar, levar a todos a minha vida sexi-afetiva.
Hoje começarei a postar os famosos “Contos Eróticos da Garota”.
Experiências verídicas e de verdade vividas por esta Garota, Linda, Loira e Japonesa que lhes tecla no fundo da alma.
Não percam nenhum capítulo.

Xero da Garota, Geeeeennnteeeeemmm...

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Affeeeennn...

Demorei mas voltei geeeeennnteeeeemmm...
Mas vim aqui somente para dizer que não irei escrever nada, por enquanto...

Acho que irei escrever contos picantes...

Acho não, eu irei!

Aguardem os "Contos eróticos da Garota"...

Xero da Garota Geeeeennnnteeeeeemmmm....

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Macho Gato da Semana.

Como toda sexta-feira fazemos a eleição do Macho Gato da Semana, eis o resultado da úlitma votação.

Dessa vez procuramos um homem maduro e deliciosamente gostoso.

E com 100% dos votos, elegemos:



RUSSO!



Um homem maduro e gostoso para povoar seus sonhos eróticos.

Xero da Garota Geeeeennnteeeeemmm...

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Creeeeedaaaa...

Geeeeennnteeeeemmm...

Olhem essa fotinha que minha única amiga orkutiana mandou para mim:



Que cabeça rosada, affeeeennn...

Filhote de urso panda é feio mesmo!

Xero da Garota...

Affeeennn...

Geeeeennnteeeeemmm...
Que post tosco esse aí de baixo, affeeennn...
Olha gentem pra falar a verdade eu ia escrever era sobre o dia de hoje:

Dia de Erê!



Eu adoro esse dia.

Saio de casa bem cedinho com minha VitorHugo a tiracolo e percorro as ruas da cidade acessa em busca das guloseimas que muitos distribuem.

Como sou uma Garota linda, loira e japonesa, todos fazem questão de me dar um saquinho, as vezes até um sacão, cheio de balinhas, chicletes, mariolas...

E eu chupo tudinho.

Sou uma Garota Chupadeira Gentem!

Beeeeemmm Kéridos amigos, o dever me chamar.

Vou-me!

Xero da Garota Geeeeennnteeeeemmm...

A PrimaVera Chegou!

Hoje eu acordei toda felizinha da vida! A PrimaVera chegou!

Chegou trazendo consigo o canto dos passarinhos, o verde da mata e o multicolorido das flores.

Nessa época do ano todos os animaizinhos se reproduzem, criam seus filhotinhos e vivem mais intesamente.

Pra você que está lendo eu deixo essas flores.



Xero da Garota Geeeeennnteeeeemmm...

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

A Garota Responde

Ontem recebí uma cartuxa de uma miguxa e lerei para vocês agora.
*
"Querida Garota,
Semana passada recebí um e-mail do Brad Pitt onde ele me falava que estava passando por alguns problemas e que precisava desabafar com alguém. Ele me falou que haviam clonado o cartão bancário dele e que larápios haviam levado todo seu dinheirinho, dinheiro este que ele iria destinar ao Centro de Ajuda das Crianças Carentes de Beverly Hills. No e-mail ele me pedia o número da minha agência, conta e senha do cartão. Eu como boa pessoa que sou, lhe passei tudinho no e-mail de resposta.
A minha dúvida é: Devo contar para minhas amigas invejosas que eu ajudei o Brad Pitt?
Ass.: Anônima Confusa".
*
Kérida anônima,
Saudações.
Na minha humilde opinião eu acredito que você não deve contar para suas amiguinhas essa tão prestimosa ajuda.
Sabe por que? Porque elas simplesmente poderão colocar olho gordo nessa sua bela amizade com esse ator tesudo americano.
Já imaginou se a Angelina Jolie fica sabendo disso?
Você com toda certeza seria o motivo da separação deles.
Portanto kérida, fique caladinha e não conte sobre esse e-mail para ninguém, caso contrário o Antonio Banderas, o Tom Cruise, o Tom Hanks e outros, poderão vir a lhe pedir também tão luxuoso auxílio.
Beijos da Garota.
P.S.: Como o Brad Pitt descobriu o seu e-mail?
Xero da Garota Geeeeeeenteeemmm...